*Informamos que as boas práticas são publicadas no idioma original de origem da escola e as traduções para outros idiomas são feitas por um tradutor automático.

1

Categoria:Desenvolvimento de competências profissionais e sociais
Tags:Apoio em procuras sociais Aprendizagem permanente Ambiente de aprendizagem Formação prática Igualdade de género Interculturalidade Itinerário educativo Integração social TIC Individualização Trabalho em grupo Trabalho por projetos Sustentabilidade Saúde e segurança

Em nossa região a palavra "Curts" é usado para se referir depreciativamente para as pessoas pouco inteligentes. Além disso, é o diminutivo da palavra curta, em Catalão.

Portanto, os jovens do centro de Amposta criaram uma série de cinco curtas-metragens que contribuem para a conscientização saciedade sobre várias questões sociais que carregam um risco maior entre os jovens adolescentes, e combater estigmas sociais possível sofrimento.

Através caricaturización pode identificar e denunciar atos e situações das questões abordadas no curto.

O projeto também favorece:

  • empatia
  • inclusão e trabalho de equipa
  • aumentar a motivação dos alunos
  • desenvolver a criatividade
  • estar ciente dos problemas sociais
  • desenvolver uma vista crítico

Através de um processo participativo, os alunos determinar os cinco temas que serão representados em formato curto caminho audiovisual. Estes são os mesmos jovens que organizam, desenvolver conteúdo, dirigindo, atuando e edição.

Os temas escolhidos foram: relacionamento tóxico, drogas, assédio moral, saúde e esporte e maus tratos de idosos.

Para realizar os shorts destinados duas horas na quarta-feira durante o ano letivo. Para cada curta uma média de cerca de mês e meio se destina. Finalmente, é mostrado nos vários centros escolares.

Compartilhar:
Coletivo:
  • Jovens

Deixar um comentário

Um dos elementos que nos surpreendeu ao realizar esta metodologia é o desconhecimento por parte da população jovem do uso do PC e outras tecnologias. Frequentemente, assume-se que a população jovem, denominada nativos digitais, possui um alto nível de conhecimento ou capacidade de adquirir habilidades digitais. A experiência nos mostrou que o uso de smartphones é muito alto, mas não de programas básicos como o Office, cujo manuseio é muito limitado. Essa carência reforçou a necessidade de incluir esses conteúdos nos treinamentos para aumentar suas chances de encontrar um emprego. Um dos elementos que nos surpreendeu ao realizar esta metodologia é o desconhecimento por parte da população jovem do uso do PC e outras tecnologias. Frequentemente, assume-se que a população jovem, denominada nativos digitais, possui um alto nível de conhecimento ou capacidade de adquirir habilidades digitais. A experiência nos mostrou que o uso de smartphones é muito alto, mas não de programas básicos como o Office, cujo manuseio é muito limitado. Essa carência reforçou a necessidade de incluir esses conteúdos nos treinamentos para aumentar suas chances de encontrar um emprego. Um dos elementos que nos surpreendeu ao realizar esta metodologia é o desconhecimento por parte da população jovem do uso do PC e outras tecnologias. Frequentemente, assume-se que a população jovem, denominada nativos digitais, possui um alto nível de conhecimento ou capacidade de adquirir habilidades digitais. A experiência nos mostrou que o uso de smartphones é muito alto, mas não de programas básicos como o Office, cujo manuseio é muito limitado. Essa carência reforçou a necessidade de incluir esses conteúdos nos treinamentos para aumentar suas chances de encontrar um emprego.