*Informamos que as boas práticas são publicadas no idioma original de origem da escola e as traduções para outros idiomas são feitas por um tradutor automático.

0

Categoria:Colaboração com empresas
Tags:Acompanhamento Ambiente de aprendizagem Empregabilidade

A Primeira Experiência Profissional é um projeto que nasceu com o objetivo de responder ao problema do desemprego juvenil, oferecendo formação e oportunidades profissionais em setores com maior nicho de emprego e desenvolvimento. O projeto promove uma intervenção abrangente dos jovens e a aquisição de formação e experiência acima da média do mercado que procura uma inserção de maior qualidade. É um modelo colaborativo baseado numa aliança entre os setores público, social e privado e criado em 2014 para melhorar as oportunidades de emprego para jovens em risco de exclusão. O projeto centra-se num modelo de aprendizagem baseado no trabalho, em que empresas líderes nos setores do turismo, restauração e logística oferecem formação e mentoria no local de trabalho através de um triplo apoio. Este modelo proporciona aos jovens:

  • Apoio triangulado através da figura do mentor educativo (numa perspectiva sistémica que acompanha, orienta e facilita os recursos de apoio), do mentor profissional (dos recursos humanos da empresa que avalia e desafia o jovem para o seu desenvolvimento) e do tutor técnico da empresa ( quem transfere conhecimento)
  • Uma introdução ao mercado de trabalho em geral e a um setor específico em particular.
  • Competências gerais e habilidades profissionais específicas, bem como a oportunidade de criar uma rede profissional.
  • Uma sensação de progresso e conquista. A possibilidade de tomar decisões e aumentar a confiança e o comprometimento.
  • A motivação para obter uma qualificação académica, prosseguir a formação ou regressar à educação formal.

Vídeos

https://www.youtube.com/watch?v=4DBkgc45HJk

https://www.youtube.com/watch?v=shN6hzuj9FA

Compartilhar:
Coletivo:
  • Jovens

Deixar um comentário

Um dos elementos que nos surpreendeu ao realizar esta metodologia é o desconhecimento por parte da população jovem do uso do PC e outras tecnologias. Frequentemente, assume-se que a população jovem, denominada nativos digitais, possui um alto nível de conhecimento ou capacidade de adquirir habilidades digitais. A experiência nos mostrou que o uso de smartphones é muito alto, mas não de programas básicos como o Office, cujo manuseio é muito limitado. Essa carência reforçou a necessidade de incluir esses conteúdos nos treinamentos para aumentar suas chances de encontrar um emprego. Um dos elementos que nos surpreendeu ao realizar esta metodologia é o desconhecimento por parte da população jovem do uso do PC e outras tecnologias. Frequentemente, assume-se que a população jovem, denominada nativos digitais, possui um alto nível de conhecimento ou capacidade de adquirir habilidades digitais. A experiência nos mostrou que o uso de smartphones é muito alto, mas não de programas básicos como o Office, cujo manuseio é muito limitado. Essa carência reforçou a necessidade de incluir esses conteúdos nos treinamentos para aumentar suas chances de encontrar um emprego. Um dos elementos que nos surpreendeu ao realizar esta metodologia é o desconhecimento por parte da população jovem do uso do PC e outras tecnologias. Frequentemente, assume-se que a população jovem, denominada nativos digitais, possui um alto nível de conhecimento ou capacidade de adquirir habilidades digitais. A experiência nos mostrou que o uso de smartphones é muito alto, mas não de programas básicos como o Office, cujo manuseio é muito limitado. Essa carência reforçou a necessidade de incluir esses conteúdos nos treinamentos para aumentar suas chances de encontrar um emprego.